domingo, 3 de maio de 2009

Mãe. Para sempre, mãe.

Hoje, ainda sem ter consciência que dia era, sonhei com a minha mãe. A noite foi só nossa. Mas, o sonho não foi bonito, nem risonho. Passei a noite em agonia, a suportar uma dor que não queria, que não era minha. Sonhei, por mais estranho que possam achar, com ela e com a morte. Sonhei que tinha partido e me deixado só. A dor era atroz. Sofria por mim e por ela. Felizmente, era um sonhos, só um sonho. Apenas um sonho de uma madrugada mal escolhida pelo Destino. Um sonho que se cruzou com o dia que é dela (e de tantas outras) - o da Mãe.

Felizmente tenho-te comigo.

A minha mãe é simplesmente "A mãe". Com todo o peso, responsabilidade, sapiência e humildade que tal termo acarreta. Carregou-me no ventre. Sublimou-me um rosto, uns olhos (parecidos com os dela). Implementa-me, em cada palavras e gesto, uma forma de ser, comportar e agir. Ajuda-me nos momentos bons e menos bons. Carrega-me aos ombros, disfarça-me as irresponsabilidades, encoraja-me para um futuro mais risonho. Os "não" que diz, compreendo agora, são a forma responsável de formatar a minha própria forma de ser. Dá-me, sempre (e espero que para sempre) a força, o ânimo, carinho, amor, beijos e um modelo de ser feliz que tanto necessito e estimo. Nunca me prendeu a convencionismos. Nunca evitou que aprendesse comigo mesmo. Nunca me aprisionou nesta redoma pós-moderna em que colocam os filhos e as próprias mães. Deixou-me sujar no jardim, cair a andar de bicicleta, tropeçar nas pedras da calçada, saltar livremente nos areais finos da vida.

Criou quatro filhos com uma força e um ânimo de leoa.
Caminha, connosco em cima dos seus pés, sem receio de nos ver felizes.

Sei, hoje, mais do que nunca, que ela me persegue e protege.
Sei, hoje, mais do que nunca, que preciso de tal protecção e dos carinhos e dos beijos e dos abraços.
Sei, hoje, mais do que nunca, que a amo intensamente.
Sei, hoje, mais do que nunca, que a quero comigo sempre e para todo o sempre.

Maria Armanda Gonçalves muitos Parabéns por seres mãe.
Mãe, um Obrigado! por seres A minha mãe.

Com um beijo especial para ela,
Luís Gonçalves Ferreira

5 comentários:

  1. Este dia é delas, só delas!
    E merecem-no completamente!
    =D

    ResponderEliminar
  2. Mãe é mãe! Não há amor mais intenso que esse, o de uma mãe por um filho (e vice-versa)!

    Que esse amor dure para sempre;)

    beijinho!

    ResponderEliminar
  3. Poderia citar algumas partes mas fico-me por te dizer quão bonita, adulta e sentida foi a tua homenagem, porque fazes uma retrospectiva, analisaste a ti e a ela, e compões o futuro com o que tens aprendido.

    Parabéns à tua Mae.
    Parabéns a ti.

    E obrigado pelas tuas palavras.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Gostei bastante. Também fiz um para a minha mãe uma vez, e até postei no blog. :D

    Abraço.

    (desculpa pela invasão)

    ResponderEliminar
  5. Que bela homenagem Luis :')

    Beijinho

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!