quinta-feira, 28 de maio de 2009

Queixume

Acordar às 12:00 traz inevitabilidades temporais.
O Cronos parece conspirar. O Tempo parece correr ao contrário. Sinto-me a escrever no tempero da manhã de Maio e não no calor de uma tarde de quase Junho.
Olho para o computador, para os livros, para os marcadores, para as canetas e sinto tudo noutra dimensão.
Nunca, em momento algum, esperei viver uma vida que não a minha. Mas, entre breves e loucos instantes, não passa outra coisa pela minha cabeça.

Eu só queria um gelado e uma praia. Mais nada.
O calor e o cheiro de um escritório afectam-me os neurónios e o sorriso e a felicidade.

Luís Gonçalves Ferreira


PS.: Efectivamente passo estes dias em queixume perpétuo. Perdoem-me o frete intelectual!


6 comentários:

  1. Já faz falta a praia, podes crer.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. já tenho saudades da praia, mas já faltou mais.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  3. Eu nao sou daqueles que sem o verão, morrem. Gosto do tempo primaveril e do tempo outonal, por menos que haja cinco estações. Ah, e da chuva miudinha ;)

    Gosto do calor "ameno", dos dias de sol sorridente mas não abrasivo... oops... mas estou a falar de mim?

    Luis, era so para dizer que ha alturas assim, como essa de nunca teres pensado querer viver uma vida que não a tua; mas sem querer, acabas por dar a solução:

    "só queria um gelado e uma praia".

    Como a cada coisa seu tempo, porque nao um, dois gelados no final do dia, a contemplares o entardecer onde quer que aches mais bonito onde vivas, estudar fora de casa, once and a while, ir ao cinema como fizeste no outro dia, enfim, estratégias assertivas para garantires, não o gelado e a praia ou dias em que mal te reconheces, mas para dentro dos limites seres o maestro desse concerto por ora desafinado?

    Nao o queiras todo afinado já. Virá o seu tempo. Até lá, vai ensaiando partes da orquestra. Hoje respiro fundo, como um gelado, esqueço-me. Amanhã nao me vou lembrar do dia seguinte e centrar-me-ei no marranço com o entusiasmo da primeira vez. Depois hei-de sair, respirar ar puro, beber um sumo numa esplanada, e olhar para os apontamentos, cadernos e livros.

    Quando der por mim, sentirei que a orquestra está quase composta. Só nao me posso sobrepreocupar com estes estados de desânimo ou falta de força anímica. Preocupo-me mas nao me sobrepreocupo. Não vou pensar muito nisto. Se pensar que ainda tenho de estudar nao sei o quê, cujos deadlines são sempre apertados, que ja me baldei a um exame, e que no meio disto tudo anseio o verão para me meter nas águas quentes da praia que me livram desta estranha , embora temporária forma de viver, estarei a gastar energias num depósito que já está a acusar o fim (do percurso academico, do tempo lectivo).

    Faz um frete a ti mesmo: estuda sem pensar na praia; come um gelado sem te importares se tens de estudar.

    As coisas vão compor-se sem teres dado por elas. Só nao te podes distrair desta maneira.

    Know the feeling...

    Aass: grilo falante lol

    Abraço ;)

    ResponderEliminar
  4. Com todo esse trabalho e esforço, acredita, o Verão ainda te vai saber melhor :)

    Aguenta aí my friend, já faltou mais.

    ResponderEliminar
  5. Os efeitos que as conversas do msn surtem em ti...

    Vá tá quase!

    ResponderEliminar
  6. "Eu só queria um gelado e uma praia. Mais nada."

    às vezes pequenas coisas podem satisfazem-nos!
    Dar mais importância a pequenas coisas, desde que sejam importantes para nos =)
    Gostei*

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!