segunda-feira, 29 de junho de 2009

Opinando

Com a inteligência de sempre, hoje, no Caderno, acerca das corridas de morte (as Touradas) em Espanha (e em Portugal), Saramago escreveu assim:

"As criancinhas ao colo das mães batem palmas, os maridos, excitados, apalpam as excitadas esposas e, calhando, alguma que não o seja, o povo é feliz enquanto o touro tenta fugir aos seus verdugos deixando atrás de si regueiros de sangue. É atroz, é cruel, é obsceno [?]. Mas isso que importa se Cristiano Ronaldo vai jogar pelo Real Madrid? Que importa isso num momento em que o mundo inteiro chora a morte de Michael Jackson? [...]
É isto cultura? É isto civilização? Ou será antes barbárie?"

Respondo ao repto, dizendo:
Sim, é barbárie. Poderá ser cultura e tradição. No entanto, não se justifica por essa via o malfazejo e a falta de decência moral. É falta de civilidade. A vontade de ver sangue quente e morte é, a meu ver, desproporcional e desnecessária. A sociedade evolui pelas mãos dos Homens. Hoje olhamos com desdém para as bruxas queimadas, os cristãos-novos e os fenómenos apartheid. Talvez, no futuro, os vindouros tenham repulsa pelas lides de morte, pelos touros deixados cair no mar, pelas caras ridículas de satisfação dos que assistem. Os Ibéricos, neste campo, como noutros, apresentam um elevado deficit evolutivo. É egoísmo antropocêntrico, de certeza.

É com educação que se gera uma evolução eficiente. No Mundo, como Humanidade, há uma tremenda falta respeito pelo outro. Nunca, em nenhuma sociedade, o respeito se obtém pelo desrespeito. Aqui e lá não será diferente. Torna-se complexo alargar o espectro da racionalidade a outros campos, quando nem os conceitos básicos de Dignidade e Liberdade foram devidamente entrosados na sociedade civil. Acima de tudo, falta-nos Educação e Cultura. Em nós tanto como nos outros.

E vocês, o que pensam sobre isto?

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

2 comentários:

  1. Mal escreveste este texto lá veio a Paixão muito contente fazer um comentário assim gigante, e quando o acabou e estava prestes a enviá-lo, prlim pim pim* fechou a janela e apagou tudo! A ver se desta corre melhor!

    FELIZES SÃO AQUELES ...(LOL! Pronto estou a brincar!)

    Eu sempre cresci envolta nesse espírito de corridas de toiros. Fui habituada a assistir a touradas desde muito cedo e sempre adorei, digo-te sinceramente! Tenho um primo forcado e uma família super aficionada por corridas. Fez parte da minha educação e assim fiquei: Adoro todo o espírito que isto envolve e toda a tradição que habita neste espectáculo.
    Embora goste da corrida em si (e gosto!), digo-te que seria incapaz de assistir a uma tourada onde se matasse o touro. Acho desumano. É sádico de mais ver tanta gente aplaudir a morte de um animal: Se fosse um cãozinho muito fofinho e muito pequenino e muito lindinho iriam detestar, mas visto que é um touro, vá bora!, matem-no e dêem-nos espectáculo para que possamos aplaudir uma morte. É horrivel!
    Não digo que seja apenas esta a sua função, mas a verdade é que a criação de toiros é, principalmente, para corridas. É um facto! Caso as touradas acabassem, duvido que continuasse a existir tanta criação de toiros, mas será isso razão para os matar? Creio que não...

    Conclusões deste comentário:

    - É uma da manhã, amanhã entro às nove, estou com sono e não vou ler o comentário antes de to enviar;

    - Receio ter sido um pouco contraditória barra confusa com esta bagunça toda;

    - Acho que fiz MILHÕES de repetições (corridas de touros, touradas, corridas, corridas de touros, touradas...);

    - Peço desculpa pela confusão, mas também estou a ver o House enquanto escrevo;

    - Vou-me calar! Beijinho

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!