quinta-feira, 18 de junho de 2009

Saudade de nada sentir

Sinto falta do vazio de não conseguir sentir nada.

Sentir de mais dá trabalho, quer ao corpo quer ao espírito. A certa altura, já nem sei o que o outro "eu" sentiria nesta ou naquela situação.

Esta mescla é parva, estranha, mas incrivelmente verdadeira. A veracidade reside na concreta concretização de coisa alguma (ou de um pouco de tudo).

Amar sem nunca crer no amor. Odiar usando a metodologia de um sentimento nobre. Chorar sem motivo. Embargos morais que surgem em situações de concreta efusividade biológica. Conselhos descaracterizados. Amizades esvaziadas por coisas vãs. Desprazer. Excitação.

A culpa só pode ser do Aquecimento Global (da chuva com sol em Junho), da política governativa capitalista ou de um tal medicamento que me preenche de negatividade.

Luís Gonçalves Ferreira

6 comentários:

  1. Ai isso vai passar :)
    Não te concentres nos problemas e vai ver que eles bazam :P
    Beijinhos*

    Ps. O meu blog "Yeack! It's Lemon" já está activado :)
    Passa por lá se quiseres ^^

    ResponderEliminar
  2. Oh eu estou sem coise. Um 'coise' com pequenos termos de inspiração pelo meio, não sei. Estou entupida, acho. E quando quero que algo saia, é difícil. Torna-se difícil organizar um pensamento único. E ainda por cima eu mudo muito depressa de opiniões, muito mesmo :\
    E uma das coisas que tenho a dizer é que estou farta do meu outro blog(Snoopy).

    Mas também acho que vai passar, pelo menos espero :)

    E obrigada por teres passado neste.
    E comenta! Nem que seja para dizer um Olá :)
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  3. A culpa é do medicamento ;)

    Por outro lado, a chave pode estar quando falas no "outro eu".

    É a falta de se ser natural, e aqui forçamos o ser num objectivo e depois aparecem estes "ecstasys" vivenciais.

    Keep great.

    Abraço e bons estudos e exames. Falta pouco... ou entao nao penses nisso. ;)

    ResponderEliminar
  4. É disso que eu estou a precisar... "nada sentir"..!

    BEIJO

    ResponderEliminar
  5. É "Nada sentir", por vezes (vezes demais!) é muito bom.
    Sentir fragiliza, pode magoar.
    Mas, sem sentirmos, o que seríamos?
    SENTE!!!!! ;)

    Beijo!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!