segunda-feira, 15 de junho de 2009

Variações

Dá-me ideia que nasci demasiado cedo.
António Variações, 26-05-1982

Sardine & Tobleroni

Com genialidade de Mestre espontâneo, António Variações foi (e é) uma referência paradigmática. Irreverente, único, excêntrico, genial. Muito à frente do seu tempo. Completamente anacrónico (desconfio que ainda hoje o seria, caso fosse vivo). Representou as aspirações de mudança de um Portugal profundamente atrasado, mas com os olhos postos no futuro. Significou o direito e a dignidade de se ser diferente dos demais.
Há 25 anos, com 39 anos, Variações desapareceu fisicamente. Ficou, a título póstumo, para além dos álbuns Anjo da Guarda e Dar&Receber, a actualidade das letras que escrevera num Portugal de outrora. Mais que um cantor, era poema como poucos. Linear, simples, mas autêntico.

De Braga para o Mundo, aliás, entre Braga e Nova Iorque, entre o atraso e a evolução, entre a moralidade monocromática e o cosmopolitismo, mora António Variações. O Portugal europeísta, evoluído e desenvolvido de hoje, não está, ainda, preparado para aceitar todos os Variações que circunscreve e tudo aquilo que possam significar.

No dia 13 de Junho de 2009 fez 25 anos que António Variações, o cabeleiro, o músico iletrado, o poeta, morreu.

Luís Gonçalves Ferreira

8 comentários:

  1. Teria uns seis ou sete anos quando o vi, por uma única vez, ao vivo. Não num palco, mas a subir a rua principal de Altura (ainda não rendida às novas construções que a mutilaram), no Algarve.
    Lembro-me de um homem de barba e cabelo louro, calças de estilo militar, de um verde camuflado, camisola de alças, mochilão às costas e Doc Martens.
    Um assombro. Era-o então e sê-lo-ia ainda hoje. Felizmente, deixou-nos um vasto património que dificilmente morrerá.
    Admirável.

    ResponderEliminar
  2. Apenas me acho com capacidade para dizer: A D O R O !

    x)


    Beijo!

    ResponderEliminar
  3. Sim. Talvez no fundo, jamais deixamos de ser crianças. Há sempre algo de mágico em nós :)

    Beijinho Luís*

    ResponderEliminar
  4. Nao teria escrito melhor...

    grande abraço, Luis

    ResponderEliminar
  5. Apesar de não conhecer muito do trabalho do Variações, a partir dos grupo "Humanos", tive uma noção do quão ele era um artista de mão cheia.
    As músicas dele têm um je ne sais quoi que contagia qualquer um que as oiça.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Ignorância minha!!!

    Será muito mau dizer que não fazia ideia que ele era de Braga!!

    Estamos sempre a aprender.. como eu gosto disto!!!...;)

    Beijito

    ResponderEliminar
  7. Todos os anos, vejo o busto dele em Fiscal, quando vou para caldelas.
    As músicas dele são fantásticas e não podiam ser mais actuais.

    Fiquei muito contente quando comecei a folhear o exame de português e vi que era acessível. Espero ter boa nota.

    Beijinho Luís

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!