terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Um novo comentário. Um novo 'post'.

"Não há amor verdadeiro sem generosidade. Não a generosidade de dar, mas a de aceitar. Raramente aceitamos o Outro pelo que ele é, mas pelo que ele nos faz sentir. Isso não é generosidade, logo, não é amor."
num comentário ao Acerca do Amor*

Obrigado por me ensinarem e completarem com as vossas opiniões. É por isso que amo preto e branco, tartaruga e albatroz, cruzes e luas. É pela diversidade que vale a pena. Isso vai muito além da mesquinhez das nossas diferenças e distâncias. Obrigado.

Luís Gonçalves Ferreira

10 comentários:

  1. Bela definição do que é amar. Hoje, eu consigo ver as coisas dessa maneira. Muitos relacionamentos acabam por conta disso, a questão do "aceitar". Só que isso requer sim um retorno. Eu teu aceito como você é, e você me aceita como sou. Parece tão simples, não é? Pois, para muitos é a razão de tamanhas discórdias. Não é à toa que temos aí guerras por intolerâncias religiosas, baseadas em preconceitos imbecis que nada mais é, do que a não aceitação. Houve um tempo em que eu aceitei tudo, eu mentia pra mim mesma, a fim de mostrar ao outro que o que viesse de mim, também deveria ser aceito, porque somos todos imperfeitos, mas... infelizmente não foi assim, esse alguém não compreendeu mais, e ele mesmo disse que quando não mais compreendesse, diria adeus. E assim, foi feito... Nem a amizade que é um sentimento sublime, foi capaz de ser cultivada em seu peito. Eu vejo o amor assim, como essa decisão de se fazer e aceitar.

    Nossa! escrevi demais! me perdoe pelo excesso. O texto nos leva a uma profunda reflexão. Venho agradecer também sua participação no poética, é de imensa sartisfação tê-lo por lá.

    Um abraço! Voltarei sempre!

    ResponderEliminar
  2. Adorei... Tenho de admitir :)
    Beijocas*

    ResponderEliminar
  3. Um texto que nos faz pensar e perceber o verdadeiro significado das coisas!
    Muito bom mesmo, gostei:D

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Sim é mesmo pela diversidade que vale a pena. Obrigada também pelo Luis que és!
    Dois beijos!

    ResponderEliminar
  5. As pessoas são mesmo o que há de mais fascinante nesta terra...

    ResponderEliminar
  6. Viva as diferenças então!
    Quanto a distância...é só um mero detalhe rs

    Abração

    ResponderEliminar
  7. Sempre com as palavras certas Luis.
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Secalhar interpretaste de outra maneira, achas que fazer o que os outros fazem, é ser único? É ser ele mesmo? Eu não acho, se a maior parte é assim, é porque os outros também o são, ou seja não pensam pela sua própria cabeça. Não estaria a querer ser igual a ti, se me vestisse tal como tu, tivesse as mesmas atitudes que tu, e se fosses a pior pessoa do mundo, eu também o seria só porque queria ser igual a ti. Quanto a modas não discuto, segue-as quem quer como é óbvio, só me faz confusão fazerem de tudo para se integrarem na sociedade, o que está mal, porque deviamo-nos aceitar tal como somos, e não só porque os outros não gostam, e daí não nos intergramos nesse meio.

    ResponderEliminar
  9. Meu deus Luis,que afirmação mais pura. Amar é dar e receber, se não houver isso não há amor e as pessoas não se podem tornar felizes.

    Não agradeças,dámos a nossa opinião porque o texto identifica-se connosco ou porque temos algo a dizer sobre determinado assunto que aqui expoes. A diversidade vale sempre a pena mesmo que nela haja distância e também é com essa diversidade que crescemos e nos tornamos melhores seres humanos .

    Beijinho querido *

    ResponderEliminar
  10. É claro que não me chateio, é apenas uma troca de opiniões, não podemos ter todos as mesmas :)

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!