terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Hoje, de madrugada, recordei imensas coisas. Aconteceu tudo entre uma forte insónia e uma necessidade imensa de descansar, enrolado sobre mim mesmo, tal e qual um feto que levita na placenta materna. Vagueei pelo passado como nunca tinha feito. Apercebi-me, qual exercício mágico, que aquela posição, acompanhada de um fechar de olhos crente, nos faz sonhar acordados. Não o sonhar sobre o irreal ou que não aconteceu, mas elevar o espírito ao positivo e ao negativo do passado, como se lá estivesse, outra vez ou uma vez mais. Foi emocionante, garanto-vos. Nunca me tinha apercebido que esta caixa mágica que encaixa em cima do pescoço era capaz de tal maravilha.
Vocês perguntar-me-ão: Mas tu nunca recordas-te nada conscientemente? E dir-vos-ei: Obviamente que sim, mas nunca com aquela intensidade.
Num fechar de olhos passei de Trás-os-Montes a Cabo Verde, da Adolescência para a Infância, sem pagar taxa alfandegária.
Isto que escrevo não é sonho nem devaneio da Roberta. É meu, só meu. Eu juro que é meu. Experimentem! Fechem os olhos, enrolados, sobre vós mesmos. Vem sem querer como quem viaja sem passaporte. Foi muito bom. Muito. Adormecia a prometer-me que ia partilhar esta alegria convosco.

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

9 comentários:

  1. Já sonhei assim Luis (:. É bom enquanto dura, enquanto revives e pareces que vives mesmo, o bom. Mas em mim no geral, esse barco que nos leva onde queremos,teve o poder aposto ao que teve em ti, a mim deu-me tristeza, tristeza de não ter mais coisas que tanto sonhei que teria para sempre, tristeza de talvéz a culpa disso ter sido minha, tristeza de deixar escapar a nostalgia de tanta e tanta coisa.
    Mas sim faz bem essa viagem "interior", mais que um momento repartido, é uma lição.

    Ps: Obrigada pela força das tuas palavras no meu canto, obrigada do fundo do coração pela lagrima que deixaste nos meus olhos que me trouxe um sorriso em simultaneo. Orgulho-me de "conhecer" o teu coração da forma mais bela que há, que é por palavras e não por aparencia, por visão fisica.

    Ps2: Sim "a alma é de ferro" (;

    Um beijinho, Francisca.

    ResponderEliminar
  2. Francisca - O bom de tudo é não ter sido um sonho. Eu estava acordado e consciente do meu corpo, da minha posição, do meu estado. Eu senti tudo como se vivesse efectivamente. Por isso não ouve essa desilusão e negritude do sonho, como falas. :)
    Estamos cá para isso. Força e contra-forças. É por isso que o mundo não tomba.
    Beijooo

    ResponderEliminar
  3. Olha independentemente do que foi, se te fez feliz, se te confortou, é o importante.
    (:
    As evzes o nosso mundo quase que tomba, até que surgem "companheiros". e por isso agradeço-te companheiro Luis.

    Dois beijos!

    ResponderEliminar
  4. Voltar ao passado acordado...

    Sentei-me em frente à esse teu texto nostálgico, e imediatamente me veio uma cena de minha infância.
    Eu, tomando banho de rio com "amiguinhos" numa cidade linda chamada Gramado, no Rio Grande do Sul.
    Dizem que recordar é viver...não vivo do passado, mas confesso que senti agora uma sensação gostosa ao ler teu diálogo insone.
    Fecho os olhos, e me vejo mergulhando naquelas águas límpidas outra vez...

    Viste o que provocaste em mim? rs

    Beijo

    ResponderEliminar
  5. Boa tarde Luis

    Oh que texto maravilhoso,cheio de harmonia. Esse teu sonho ou recordação já que estavas consciente é tão bonito e sabes ao ler este teu belissimo texto fizeste-me recordar de momentos únicos tanto da infancia como da adolescencia e só te digo que é optimo esta retrospectiva de momentos ou situações vividas no passado mas que pela nossa mente ainda estão bem presentes para nós e a isso dá-mos o nome de memórias. Gostaria de muitas vezes perceber ou pelo menos tentar certos sonhos, mas não somos nem nunca poderemos ser super-herois por isso resta-nos ir pesquisar em livros ou assim .

    Um enorme beijo *

    ResponderEliminar
  6. Viajar em sonhos! Nada mais que justo, e assim serve o passado, exclusivamente para nos trazer boas recordações. A sua viagem saudosista, fez-me pensar nas vezes em que a madrugada foi a minha companheira e a solidão não me permitia pensar em coisas boas. Hoje, é diferente, recordo os bons momentos, abraço minha alma também em sonho e faço disso poesia. Eu adorei o seu espaço! Aqui está repleto de coisas as quais me identifico muito, principalmente mente The Cientist, por Coldplay aí do lado. Venha conhecer o Poética, será um prazer tê-lo por lá!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  7. Isso acontece-me varias vezes... Mas nem sempre me fazem bem esses momentos... Por isso, para mim? Nao há nada melhor do que me deitar na cama e adormecer sem ter de pensar e de me lembrar de certas coisas...
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  8. Você me fez sentir uma vontade absurda de fazê-lo! Relembrar o que fui, o que fiz, pessoas com quem estive, momentos que marcaram ou que simplesmente completaram a minha vida! Felizes somos por ter lembranças, muitas vezes é nelas que nos agarramos na esperança de algo melhor. De posse da felicidade que um dia vivemos, fica a certeza de que, mesmo o momento sendo ruim, ele pode sim, ser melhor, exatamente como um dia foi.

    Obrigada pela reflexão, meu caro!

    Abraços.

    ResponderEliminar
  9. Nada vale um bom momento de introspecção!
    Não existe nada melhor do que adormecer abraçados a nós mesmos e acordar na manhã seguinte, reconfortados, com a certeza de que não existe mais ninguem que nos ame tanto como nós próprios. O segredo do sucesso é colocar sempre um pouco de nós em tudo o que fazemos, e para isso, é preciso harmonia; harmonia que se obtem através de análises sinceras.

    Um beijo!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!