segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Pensar mais do que sentir

Tenho saudades de ser pequeno, livre e inocente. Sinto falta da irresponsabilidade de ser cândido e não saber nada sobre nada. Estou nostálgico em relação ao Luís que já existiu, foi, mas que não voltará a ver-se como se viu. Este corpo e alma que agora me compõem são reflexos profundos da minha história. O jeito de sorrir, abraçar e beijar reflectem os sorrisos, abraços e beijos que fui recebendo. Sinto falta do Luís que só sabia dizer mamã e Deus da má'jude. Sinto a ausência das pessoas que partiram e que naquele tempo estavam presentes. Sinto saudade de só gostar da mãe e de mais ninguém. Sinto saudades de sentir mais do que pensar. É um anseio que bate, mas nada resolve, porque apenas cansa a alma. A ausência corrói a alma e o espírito. É nestas alturas que penso que a Saudade e o fado são as maiores dores de alma que consigo ter. Provavelmente, sou mesmo um epicurista.

Luís Gonçalves Ferreira

18 comentários:

  1. Caro Luis,
    a cirurgia correu bem, agora é só mesmo recuperar!

    Pois claro, "a vida é aquilo que te vai acontecendo enquanto te empenhas noutros planos"! Há que aproveitar mais!

    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Quando um Homem perde a honra/a dignidade, não deve temer mais nenhuma perda; pois nesse primeiro momento, perdeu tudo.

    ResponderEliminar
  3. Secalhar a racionalidades que dizes que eu tenho a menos, ou o sentimentalismos que tenho que gerir é o oposto do que tu tens de fazer, deixa flutuar as tuas vontades sem medos e sente mais.
    A racionalidade é boa, quando em quantidade q.b...e sim tal como o sentimentalismo.


    Não concordo contigo em tudo, mas em parte sim, mas independentemente disso um obrigada Luis.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Um pouco de nostalgia também faz bem. És diferente do que eras há uns anos. Mas lembras-te, não tem que ser obrigatoriamente para pior.


    Já agora, tu deixaste caír aquele telemóvel?! |:

    ResponderEliminar
  5. Sim, o facto de não ir com a cara dela não me impede de ver (ouvir) que ela tem uma boa voz. Mas é como dizes, a voz não é tudo, e se ela continuar com a atitude que tem tido (ignorando as dicas de quem mais sabe e os conselhos dos que conhecem bem de mais o mundo da música) não lhe adiantará de nada estudar lá fora!Niguém aprende pensando que já faz o melhor.

    Está tudo bem comigo :) passei a tudo a frequências (em princípio, ainda não recebi dois resultados). E tu? Exames? Babes? Como vai a vida? A escrita continua na mesma: E S P L E N D O R O S A ! ;D

    ResponderEliminar
  6. De certa forma :) Aquele post foi uma espécie de brincadeira com a confusão de palavras e sentimentos que vai em mim e este post foi tipo um ponto final nesses sentimentos !
    Tudo se ultrapassa :)

    Beijinho *

    ResponderEliminar
  7. Luís!
    Estou buscando palavras para dizer-te que tu és hoje, um pouco do menino que outrora
    foste,ao certo algo dele ficou em você.
    Mistura tudo, tal como um milkshak, e então o que teremos?
    Um Luís maduro, mas com essência de menino, alegre e brincalhão, inteligente e espontâneo!

    Saiba meu amigo, que sentir saudade é saudável, quem não sente? De uma pessoa, de um tempo, de um brinquedo, de um filme, de uma roupa, de um sentimento, de um carinho, de uma música, mas enfim...
    Não sofra pela ausência, sorria pois algo de bom ficou, e trazer à memória o que ficou, às vezes se faz necessário, pois nos encoraja à viver novos momentos, muito mais felizes ainda!

    Sim, porque podemos, devemos e merecemos ser muito felizes do que já fomos um dia!

    Fique bem, estou do outro lado do oceano torcendo muito por você!

    Ah! Ontem tomei uma água de côco bem gelado no calçadão de Copacabana, e lembrei de você!
    Temos que negociar a água de côco e o vinho, pensaste que esqueci mocinho? Não mesmo ;-)

    Beijo no teu coração!

    ResponderEliminar
  8. Oh... Tambem eu tenho imensas saudades...
    Os problemas nao me afectavam.. Faziam parte do mundo dos crescidos nao do meu...
    Passou rapido :( E isso nao me agrada muito...
    beijinhos*

    ResponderEliminar
  9. Olá Luís. :) bem, isto está profundo. Mas olha, a nostalgia ou saudade há-de ficar sempre contigo... aliás, vais sentir falta de não saberes nada quando souberes demais. Crescer é a coisa mais difícil que pode acontecer (porque, nem sempre cresces...). Eu acredito que é só uma fase tua, rapaz. Acabará por passar; nada nesta vida é temporário. Um beijo, Lana.

    ResponderEliminar
  10. Luís, há dias em que estamos assim mesmo, um tanto saudosos, ou mesmo nostálgicos. Em dias assim eu prefiro ficar sozinha, aproveito para "desenterrar" tudo o que parece querer ser desenterrado, penso, repenso, revivo... As vezes é doloroso, mas, para mim, inevitável. E para te dizer a verdade, acredito que tenho crescido com isso.

    Sorte que isso passa, e no outro dia tudo está normal, outra vez. Tenho sentido essa saudade recorrente em seus últimos textos, e acredito que tudo se deva aos dias do ano em que estamos, e às lembranças que você compartilhou conosco que acabam voltando. Sinta saudades sim, Luís, é normal.

    Abraços, meu amigo.

    ResponderEliminar
  11. A vida é bela por isso mesmo... por não sermos nunca os mesmos, e termos como cada segundo um momento de aprendizagem :)

    ResponderEliminar
  12. A todos - Muito obrigado pela força e pela atenção. Esta saudade bate forte com o sentido de responsabilidade académica. É normal que, durante os próximos tempos, as referências ao passado sejam muitos. É como que uma necessidade de recordar o que fui para ter exactamente a certeza daquilo que quero ser. E sim, dói e custa. Mas vou chegar lá. Vamos chegar lá. Todos. Chegaremos aos nossos projectos. E é por eles que as batalhas da vida valem a pena.

    Beijos e abraços.
    E Obrigado por estarem presentes, não no passada, mas no presente!

    ResponderEliminar
  13. Meu lindo, deixe-me dizer de uma coisa... Muita vezes, você irá se sentir assim, indiferente seja a fase da sua vida. Não há como não sentir falta daquilo que foi bom. Eu o admiro muito, pois, consigo enxergar em você, algo que é raro de se encontrar nas pessoas. Você é racional e ao mesmo tempo carrega essa dose de sentimentalismo. Tudo na medida certa. Eu acho simplesmente incrível a capacidade que as pessoas teem de jamais deixarem de "sentir" e dizer sobre isso... Você é jovem, cheio de vida, anseios... Viva o que te espera de forma que o que for passando seja sempre motivo de excelentes lembranças. A vida não é só flores, e às vezes, ser adulto, é tão chatinho, rs! Mas, também é tão maravilhoso, pois, aprendemos sobre tantas coisas! Por exemplo, essa troca que todos nós estamos tendo, é muito bom isso, não acha? Como bem disse a Angel, sentir saudade é mesmo normal, só não faça disso algo que pese na alma, não compensa...

    Meu amigo, deixo aqui aquele abraço rente ao peito onde os corações batem em sintonia!

    Esteja bem!

    ResponderEliminar
  14. Versos de Caeiro:

    Minha alma sabe-me a antiga
    Mas sou de minha lembrança,
    Como um eco, uma cantiga.

    Bem sei que isto não é nada,
    Mas quem dera a alma que seja
    O que isto é, como uma estrada

    Ah, a poesia! Nos diz mais do que esperamos!

    ResponderEliminar
  15. Jacque - Se Caeiro me reconfortou a alma, o seu comentário fez-me rejubilar por dentro. Não escondo que sorri quando li o que você escreveu sobre mim. Foi bom. Obrigado. Tens uma sensibilidade de artista, que entra profundamente aqui dentro no meu coração. E sim, este intercâmbio tem sido maravilhoso. Aprendemos muitas coisas uns com os outros. E aprender é a melhor coisa que existe e o lado positivo que toda a negatividade tem. Mais uma vez obrigado pela força. Um beijo enooooooorme.

    ResponderEliminar
  16. Dois beijos enormesssssssssssssssssss! rs

    ResponderEliminar
  17. Já tive tantos, tantos momentos desses. E acho lindo essas, como dizer... recidivas. mas não és epicurista algum. São estados de alma. pelo que conheço de ti, por vezes tenho "receio" que um dia, apenas um dia, longe no futuro, olhes para tudo isto e digas "how fool i was" mas afinal é desta loucura quase pueril de um ser cândido que vais necessitar quando fores o Doutor Luis, embrenhado nas teias de um mundo adulto que talvez torne ainda mais perspicaz quilo que jé de ti é crítico.

    Lembra-te deste post (entre alguns outros) e lê-o num dia em que estejas de fato e gravata em estado de existência.

    Um forte abraço pelo que és. Tudo em combustao no teu natural processo de crescimento. Como, de resto, todos nós...

    ResponderEliminar
  18. Daniel - Obrigado por, mais uma vez, estares aqui presente. Eu não quero que o crescimento me retire os princípios. Esses não mudarão, porque aquilo que mais me orgulho de ter. :) Forte abraço!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!