terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Verdade e consequência

Quando alguém fala com Deus é extremamente religioso e devoto. Quando Deus fala com alguém ele torna-se socialmente um "esquizofrénico". 
Joana Amaral Dias


Ora, concluo que Deus ouve mais do que fala daí ter dado ao Homem dois ouvidos e uma boca. Bem-aventurados todos os que ouvem mais do que falam, pois poupam-se a loucuras.

Luís Gonçalves Ferreira

5 comentários:

  1. às vezes as loucuras fazem-nos bem :D
    beijinho *

    ResponderEliminar
  2. Curioso que hoje também ouvi essa frase e pensei postar no meu blog. :)

    O melhor talvez seja não contarmos a ninguém quando Deus fala connosco. Não corramos o risco de ser internados. A sociedade não permite que possamos falar abertamente sobre tudo.

    Um grande beijinho*

    Lu

    ResponderEliminar
  3. Ei Luís, teu escrito, lembrou-me do primeiro texto que escrevi, nem está no meu blog, mas te passo por aqui, caso queira ler.
    Entre neste link: http://www.textolivre.com.br/artigos/8665-dialogo

    Espero que goste!

    Mas comentando teu escrito...
    O que seria de nós humanos sem uma boa comunicação?
    Aquela que funciona a base da troca, ouvir em certos momentos e em outros falar.

    O que me entristece é saber que muitos querem mais ser ouvidos, do que nos ouvir!

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. zir - Eu não sou nada nada de loucuras. Ser-se louco, no sentido que digo, é mau, por é ser-se socialmente diferente. Essa das expressões mais sensacionais (de tão verdadeiras) que ouvi nos último tempos. Beijoca!

    Lurdes - Querida prima, como disse aqui em cima, essa expressão é sensacional por se muito verdadeira. Crer-se em Deus é ser-se motivo de desdém, parecendo que é uma coisa má. Crer é bom e falar com ele ainda é melhor. Alexandra Solnado diz que ele fala com ela e é uma "louca". Eu acredito que ele fale com ela. Fala comigo, muitas vezes, através de sopros no coração e dos meus gestos para com os outros. Deus fala comigo! E não sou louco. :) Beijoca, prima. Adoro-te, do fundo do coração.

    Fabi - Querida, Fabi. Vocês, amigos desse outro lado do oceano, enchem-me o coração. As questões que coloca no final do seu artigo são as questões que eu queria que ficassem no ar ao fim da leitura deste texto. Falar e ouvir devem ser feitos na medida certa, lá por isso temos mais ouvidos que boca. :) Beijo, Fabi. Um enorme beijo.

    ResponderEliminar
  5. Quando ouvimos com o coração, passamos a analisar o que dizer. Ouvir nos faz refletir. Eu gosto de ouvir as pessoas, mas, eu sempre falo demais. Estou tentando equilibrar isso. Gosto de saber das histórias de vida de cada um eu me envolvo e tento a todo custo achar uma resposta certa, um conselho oportuno. Acho que nem sempre ajuda... Já sofri demais por isso, mas, o prazer de ajudar é recompensador.

    Meu lindo, um beijooo!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!