sábado, 20 de fevereiro de 2010

Obrigado

É bom saber que tudo continua igual. Os sorrisos, os gestos, as conversas, as indecisões, as vozes e os traços... É tudo preciosamente parecido ao que vi quando vos pus, na última vez, a vista em cima. Longe da vista, mas absolutamente perto do coração. Não senti, convosco, que algo de importante mudara. Somos os mesmos, apesar de um batalhão de coisas novas ter entrado em cada uma das vidas tomadas num ponto isolado. De sós nada temos. E de tudo somos feitos. Temos rastos uns dos outros, ainda. Nem percebi que o relógio do tempo se tinha lembrado de não parar... Vi-vos hoje e bastou para perceber que estamos bem. Não sei quando vos reverei, mas de uma coisa tenho a certeza: As pessoas não morrem pela distância nem pelas ausências se o pormenor do "querer permanecer" continuar lá.
Guardo tudo. Mais um pouco. Num cofre imenso. Quando duvidar das virtudes da amizade vou-me lembrar deste texto. Quando sentir a vossa falta, nos momentos de fragilidade, vou sorrir. Apesar de tudo parecer correr mal existe um templo santo, intocável, monumental, sobre o qual estou erguido. O tempo é a família. A que eu escolhi e a que me calhou pelo sangue que me corre nas veias. 
Obrigado, a todos, por terem estado, como sempre estiveram, na presença do meu coração. É o mais que consigo fazer para espelhar, em alguma matéria, a minha felicidade.

Obrigado CPi., AFe., FEs., ATe., e AAr, por tudo, mas essencialmente por ainda estarem aqui.

Luís Gonçalves Ferreira

8 comentários:

  1. Que bom ver que tens o coração cheio de alegria (:
    Rever pessoas que nos fizeram (e mesmo longe fazem) felizes é reconfortante, é mesmo a voz de que quando há amor de verdade ele nunca acaba, mesmo que viva adormecido no tempo.


    Um beijinho Luis!

    ResponderEliminar
  2. Eis uma prova que existem, de facto, amigos verdadeiros.
    É bom saber que te fizeram sentir bem, voltar aos velhos tempos e às suas recordações boas.
    Beijinhos Luís *

    ResponderEliminar
  3. São pessoas preciosas, de quem nunca nos devemos separar. Para quem acha que os verdadeiros amigos não existem, esse teu texto é uma grande prova. Parabéns por teres quem tens!

    ResponderEliminar
  4. Nao tens q agradecer de nada, pq no q depender de mim cntinua tudo igual e vai sempre cntinuar.
    Afinal de cntas os verdadeiros amigos permanecem e tu sm duvida alguma q és um desses amigos :')

    Um grande beijinho*

    AFe

    ResponderEliminar
  5. Que linda demonstração de amizade, Luís! Me fez lembrar dos meus, que também estão distantes. Dá uma saudade imensa, e quando nos reunimos nem parece que o tempo passou. Os amigos são a família que podemos escolher, isso é fato, são o bem mais precioso que podemos conquistar.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  6. As verdadeiras amizades nunca morrem :) Também tenho exemplos desses, especialmente amigos do secundário que agora mal os vejo... mas quando finalmente arranjamos algum tempinho para nos encontrarmos, sabe tão bem recordar os velhos tempos eheh

    ResponderEliminar
  7. Obrigado a ti por fazeres parte
    deste meu pequeno mas grande grupo de amigos..
    Adoro-te paixão;)
    FEs

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!