terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Queria um sentimento chamado "eterno"

Queria um sentimento chamado "eterno",
Que pudesse sentir para sempre. 
Seria sentimento? 
Seria efémero pensamento?
Náusea, suor, respiração. 
Frio não seria certamente. 
Vómito, estada, um corpo sem alma. 
Estrada sem fim era certamente. 
Flor, fruto, paixão. 
Teria medo do tempo, tão-somente...
Eras tu aqui?
Ou seria eu por dentro de ti?
Invasão era definitivamente. 
Era teu este meu eu sôfrego, 
Cinzento. Sempiterno,
Seria este nosso sentimento.
Luís Gonçalves Ferreira

7 comentários:

  1. Mas que lindo este teu texto... Lindo mesmo.. Adorei... e adoro tambem o teu blog, vou seguir-te atentamente! Um beijo

    ResponderEliminar
  2. O sentimentalismo fala mais alto em ti do que julgas (:
    Um beijinho criador Luis!

    ResponderEliminar
  3. Adorei o que escreves-te!
    Este assunto ronda as minhas conversas de vez enquando... Eterno? Para sempre?
    Que tolos que somos... Eu dava tudo para que fosse assim...
    A paixão é que move o ser humano, muito mais que o amor!
    Nada é para sempre... Mas há certas coisas em que aposto a minha certeza...
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Lindo texto, Luís! Mudaram os ventos ai, pelos lados de Portugal? Sinto brisas suaves, carinhosas, quentes... Vejo muitos sentimentos descritos neste texto, e muita vontade de sentí-los também.

    Abraços, meu caro.

    ResponderEliminar
  5. adoro a tua escrita! fantástica!
    Beijinhos *

    ResponderEliminar
  6. Que belo Luís!

    Leveza, senti uma estranha leveza quando li.
    Todos nós buscamos um sentimento assim, eterno.

    Mas nem tudo é para sempre.

    Um beijo à ti!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!