sábado, 20 de março de 2010

Uma canção

Quando eu estiver triste prometes-me um sorriso?
Quando eu estiver deprimido prometes-me um colo?
Quando eu estiver sem ti prometes-me um telefonema?
Quando eu estive aqui, sozinho, prometes-me companhia?
Se sim, eu fico. Se não, também. 
Não exijo. 
Nem quero. 
Nem posso.
Nem vou.
Apenas, meu amor, quero que saibas que te embalarei, mesmo nos piores momentos.
Meu amor, eu prometo, hoje, que este beijo é puro. E mais: É cândido. É uma meninice que não envelhece, apenas amadurece. Ficará grande. Não te prometo a eternidade nem a razão. Juro-te um coração puro, teu, eterno. Ah, meu amor, se a eternidade existir, eu juro. 
Calo-me.
Eu não vou sair daqui sem ti.


Luís Gonçalves Ferreira

5 comentários:

  1. Agora queremos ver isso mas em áudio ;)

    E quanto ao livro, já várias pessoas me disseram que valia a pena e eu comprei-o porque achei o mesmo. Mas como quando peguei nele estava de férias, acho que preferi aproveitá-las e deixar as leituras para quando chegasse a casa... Já me encaminhei ali com ele e vamos lá ver :p

    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. adorei :) espero que cada palavra seja sentida... porque é mesmo bonito.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Luís!
    Este texto fez-me chorar ;)
    Talvez por estar a passar neste preciso momento, desde a meia noite e tal, por uma separação, tenho provocado esse efeito em mim...
    Adorei simplesmente :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Hoje, que estou em modo "Notting Hill" e "Breakfast at Tiffany's", este texto foi a cereja em cima do bolo.
    Obrigada, miúdo.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  5. Curioso é como pedes a presença mas logo a dás. Prometes-me um sorriso, etc? para depois tu mesmo embalares ainmda que nos piores momentos. Gostei do todo mas do toque do "calo-me" se a eternidade existir e que nao sairás daqui sem ela. The One.

    Gostei.

    UM grande abraço :)

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!