terça-feira, 11 de maio de 2010

Acordo e sou poeta. Adormeço e sou um sonho.

Se te amo para sempre? O meu coração garante-me que sim. Confessa-me, agora, em surdina, na língua dos corações, que nunca te vai apagar de lá. E eu acredito nele. Sempre acreditei nas suas confissões. Falamos horas a fio sobre pessoas. É ele que treme primeiro, rejeita ou acolhe. Abraçou-te.

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

PS.: Estou a ficar oficialmente um meloso. Isto só pode ser da primavera. Acho que estou a entra no standard da blogosfera. E a diversidade do "Suor de um Rosto" sofre com isso.

6 comentários:

  1. Gostei muito do texto :)
    Sabes que quando o amor fala mais alto tornamo-nos todos meio melosos, mas estas tuas palavras são tão bonitas, tão cheias de compaixão e é verdade aquilo que dizes do coração ele é que sabe quem escolhe e a maior parte das vezes é ele que tem razão quando o assunto é o amor .

    Beijinho *

    ResponderEliminar
  2. Bem, isto está lindo. A começar pelo título. And i mean it. Meloso? Diria antes poético e inspirado. Muito bem. Parabéns.

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Fantástico Luís!
    Tens escrito textos profundos e muito intensos.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Depois de muito tempo sem conseguir aceder ao blog, é com imenso prazer que posso voltar a ler textos teus, que embora os conseguires melosos, são realmente fantásticos :)

    ResponderEliminar
  5. Talvéz agora entendas melhor a tarl "epidemia" de amor que um dia falamos (: Quando o sentimos só nos aptece grita-lo ao mundo seja lá de que forma for!


    Beijinho e que tudo esteja bem (:

    ResponderEliminar
  6. Gostei :D
    O amor faz-nos sentir assim mesmo (: *

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!