sexta-feira, 11 de junho de 2010

Estou a ficar velho! Conclusão:

Fast Car 
Tracy Chapman

A saudade corrói por dentro. Esfola por fora, porque diminui-te o sorriso. Tenho saudades de ser pequeno e achar que o ano 2000 foi ontem.
A passagem do tempo é produtiva, porque nos desenvolve. Mas... chateia. Eu lembro-me do ano 2000 e do medo pelo fim do mundo. Lembro-me do novo milénio ser novidade. Lembro-me de tudo e parece que foi ontem. Ontem, caros leitores. Estamos em 2010 e passaram 10 anos. Não sei, hoje, se foram suficientemente produtivos para ter este medo enorme de estar a ficar velho. Pensarão: Estás a ser ridículo, porque tens 20 anos! Tenho. Sim! Tenho, mas dói na mesma. Se tempo é sabedoria tempo significa experiência.
Tempo.
Tempo.
Ainda noutro dia comecei o curso e conheci gente importante. Ainda ontem entrei no segundo ano. Hoje estou quase a sair dele e a começar um novo. É chato quando a realidade nos cai em cima. 
Hoje tenho saudades. De mim. Essencialmente.
E só me apetece parar e chorar. Até que recolha energias para o próximo passo deste relógio pequeno e rápido em que me meteram mal nasci.
Ditadura do relógio.

Será mesmo necessário contarem a vida em dias, minutos e segundos?

Luís Gonçalves Ferreira

9 comentários:

  1. Não, não é necessário, esta é só mais uma daquelas imposições que nos obrigam a engolir. Conte a vida ao seu tempo, conte os momentos, os sorrisos, as conversas, os ensinamentos... Vai ver que já foram muitos, mas que ainda virão milhares, e mais, que a quantidade, e a intensidade, de cada um está em suas mãos.

    Abraço, Portugal! Imensa saudade sua.

    ResponderEliminar
  2. É um factor crónico que varia de sociedade para sociedade.
    E já que falaste nisso, realço a obra "O Papalagui" que te recomendo. Não sei porquê, algo me diz que vais gostar!
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Não é necessario e é ao mesmo tempo Luis.
    A nossa rotina diária, os nossos afazeres. Tudo isso requer que dividamos o tempo em horas e as vezes tornam-se poucas!
    Não devias ser assim. Claro que não. A vida como disses-te é demasiado curta e veloz para ser levada assim. Mas se a levassemos de outra forma (como muita gente leva) dariamos conta que o nosso papl cá também não tinha sido lá muito "rentavél" e não te(nem nos) sentiriamos muito bem com isso.
    Sente orgulho do que foste e és e segue. Vais ver que é mesmo assim que vale a pena.
    Esse cansaço é sinal de luta :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Sentir saudades do que já foi vivido é tão natural, ainda para mais quando sabemos que fomos tão felizes nesse tempo.
    Claro que não é preciso contarmos a vida em dias, segundos ou minutos porque assim nunca iremos viver o momento com intensidade e alegria.

    Adorei mais uma vez este teu texto

    Beijinho querido *

    ResponderEliminar
  5. O que eu também sinto é que o tempo passa cada vez mais sem darmos por ele - que frase tão à velhota - mas isso não tem que ser necessariamente mau. Faz falta parar, pensar, chorar, gritar, descansar, recuperar todas as forças que estão certamente em falta e só então ir em frente de novo. Às vezes é bom fazermos pausas...
    Beijinhos Luís. E acredita que estou contigo, revi-me muito bem em grande parte desta tua escrita.

    ResponderEliminar
  6. Isso são convenções, meu caro! O tempo é tão livre, tão nosso... Todas as vezes que sofremos com ele, parece não ter fim estes questionamentos. Me ensinaram a brincar com o tempo e tê-lo como um aliado. Eu entendo quando remete-se a esse saudosismo, isso é normal. Eu também quando eu tinha 20 anos, fiquei aflita com o tempo... Hoje, aos 31 anos, vejo que o tempo passa mais devagar, a vida está devagar pra mim... e gosto tanto disso, pois, só assim, passo a observá-la melhor.

    Ânsia dos 20 anos, quem não teve isso? rs!

    Um beijo, Luís! Daqueles.... ENORMESSSSSSS!!!

    ResponderEliminar
  7. Te mando essa musica q eu amo e q cabe para o momento!

    Sobre O Tempo
    Pato Fu

    Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
    Pra você correr macio

    Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
    Pra você correr macio
    Como zune um novo sedã

    Tempo, tempo, tempo mano velho
    Tempo, tempo, tempo mano velho
    Vai, vai, vai, vai, vai, vai

    Tempo amigo seja legal
    Conto contigo pela madrugada
    Só me derrube no final

    Ah-ah-ah ah-ah
    Ah-ah-ah ah-ah

    Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
    Pra você correr macio
    Como zune um novo sedã

    Tempo, tempo, tempo mano velho
    Tempo, tempo, tempo mano velho
    Vai, vai, vai, vai, vai, vai

    Tempo amigo seja legal
    Conto contigo pela madrugada
    Só me derrube no final... oh-oh... oh-oh ah...

    Uh... uh... ah au
    Uh... uh... ah au
    Vai, vai, vai, vai, vai, vai

    ResponderEliminar
  8. tic tac e Adeus,
    O relógio não para. tic
    Nem um tic nem um tac
    Porque, porquê?
    Ontem tinha 17 hoje 19;
    Amanhã não sei,
    tic é um dia mal passado.
    tac é o vento que corre no ar .

    Preso, a um único ser
    Preso a tics e preso a tacs
    Preso para sempre ou até amanha
    Trata-se de uma pena relativamente incerta
    Um sentimento reprimido e instável
    Que se demonstra no brilho fosco dos meus olhos escuros

    E quando ela me tocava na mão
    Naquele dia de primavera
    Eu senti quem era
    Mas o sentimento foi um crepúsculo
    Um tudo que é um nada

    Disseste adeus
    O relógio atacou
    Tic tic tic

    Agora sou poeira humana num mundo animal tic tac

    (escrevi isto no outro dia ... talvez te identifiques)

    ResponderEliminar
  9. @Anónimo - Identifico-me sim, perfeitamente. Obrigado pela partilha. Abraço!

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!