terça-feira, 10 de agosto de 2010

Caí das mãos da criada, descuidada

Este blogue anda parado parado parado. E a culpa é minha, que teimo em não me aproximar disto de uma vez por todas. Tenho saudades dos tempos que destilava rolos de coisas aqui. Perdi-me. E ainda não consegui juntar os bocados.

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

2 comentários:

  1. A quem o dizes.. tanta vez que me sinto assim.. Mesmo tendo agora um novo livro, não sei se conseguirei escrever nele por muito tempo.

    ResponderEliminar
  2. Excelente analogia com Álvaro de Campos!
    Se fossemos a ter em consideração as suas três fases, relembrar-te-ia de que, e com toda a razão que te aproximas dele nesta fase niilista e decadentista; porque tens toda a razão de assim te sentires. Condicionamentos da vida. Mas lembra-te que a próxima fase e não perdendo o fio à meada é sem dúvida de euforia e exaltação.
    As coisas vão levar o seu rumo.
    Tranquilamente.
    E a vontade de te expressares e de viver com a tal ataraxia (que é essencial na condição humana) vai voltar.

    Um beijo e uma excelente continuação Luis.

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!