terça-feira, 17 de agosto de 2010

Pessoas que são pó

A pior sensação que se por ter, no campo relacional, é a de desilusão. As pessoas, aqui e acolá, no egoísmo próprio do homem, vão representando as imagens que delas cultivámos nos nossos planos pessoais. Ora aqui ora ali, surgem rostos associados a sentimentos, comportamentos, atitudes e formas de ser. Pior é sentir que tudo, inclusive o que se presta, deixa de valer a pena por falta de correspondência ou  por meras atitudes injustificadas. 
O sentimento, sobre variadas formas, surge como uma representação do outro e não como aquilo que é verdadeiramente. E a realidade, essa fria existência cerebral, tratará de nos mostrar que as peças, frias e gélidas do xadrez, estão colocadas segundo um ordenamento diferente daquele que, anteriormente, tínhamos como certo. Assim, num passo de magia do tempo, a mesa do tabuleiro vira e o inimigo muda a capa. As peças do Xadrez, como na vida, desorganizam-se. Tudo por que, a certa altura, fomos mais sentimentais que cerebrais e distanciamos o olhar, agora quente, do tabuleiro que sempre foi frio. Centramos o rosto e desviamos o plano fulcral: o jogo. A realidade, que é o gelo que estremece o quente, trata de recolocar tudo no sítio e não permite olvidar que... há pessoas que definitivamente não valem a pena.
Há certas alturas em que a realidade, por mais crua que seja,  nos chega e destila o corpo, em segundos. É este o momento.

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

2 comentários:

  1. por vezes a realidade é difícil, mas não podemos viver numa mentira...

    ResponderEliminar
  2. Tenho passado por aqui amiúde mas, por falta de palavras com sentido, por não conhecer o sentido por detrás das tuas, tenho-me calado.
    Só quero que saibas que passarei sempre pela tua vida, ainda que "só" aqui, onde te dás.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!