sábado, 21 de maio de 2011

Apetece-me Pessoa: "Quando estou só reconheço"

Quando estou só reconheço
Se por momentos me esqueço
Que existo entre outros que são
Como eu sós, salvo que estão

Alheados desde o começo.
E se sinto quanto estou
Verdadeiramente só,
Sinto-me livre mas triste.
Vou livre para onde vou, 

Mas onde vou nada existe
Creio contudo que a vida 
Devidamente entendida
É toda assim, toda assim.
Por isso passo por mim
Como por cousa esquecida.
 Fernando Pessoa

5 comentários:

  1. Fernando Pessoa é uma merda! Nem sei porque é que começou a escrever, foi só para chatear os coitados dos alunos que andam a estudar e ainda têm de ouvir estes poemas.

    ResponderEliminar
  2. Pelo menos podiam escrever as razões das palavras destacadas!

    ResponderEliminar
  3. Ai amas?, eu pelo contrário odeio!!!

    ResponderEliminar
  4. Querem uma proposta para este poema melhorado?

    Quando estou só reconheço
    Que a minha vida é assim
    Sou triste e solitário
    Nesta vida sem fim

    Quando estou só reconheço
    A beleza que é amar
    Aquela pessoa que não esqueço
    E que vou acompanhar

    Quando estou só reconheço
    A minha vida inútil
    Não sou nada sem amor
    Nesta vida inútil

    ResponderEliminar

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!