terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Morrer

Morri imensas vezes durante a vida. Morri com despedidas, morri com partidas, morri com regressos e morri com promessas de ingressos. Morri por morte natural, por morte espiritual. Morri por assassinato e por suicídio. Morri por vida como morri por morte.
Morri como renasci e não teria renascido se não tivesse outrora já morrido. 
Morrer é vida, por tudo isto, como um zero cheio de adrenalina. 
Morrer é nascer, por todas as demais valiosas vezes, como uma montanha. 
E para termos nascido havemos de ter morrido, nem que não seja para a hipótese de morrermos antes de nascer.

Luís Gonçalves Ferreira

1 comentário:

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!