sábado, 23 de novembro de 2013

O Coração e os Nomes

Todos morreremos?, exclamou o Apóstolo, perguntando ao Mestre. Eu Morri, retorquiu de imediato o que se sentava à direita Dele. Repetiram-se imensas outras respostas, umas mais proféticas e inteligentes do que outras. O Mestre continuava em silêncio. Rapidamente a sua amada, levantou-se e perguntou: Mestre, porque falas tanto em silêncio? Ele, ainda calado, levantou-se, fez-lhe sinal e trocaram de posições na mesa. Na verdade, não havia amor como aquele. Estava Ela agora ao centro. Numa assertividade arrepiante, o Mestre profetizou: A Morte é isto - uma leve troca de posições. Eu aprenderei a viver neste local e tu nesse; e os outros, na base destas palavras, construirão as suas esperanças e sofrerão as suas desgraças. Às vezes, na vida, um floco é um nevão e uma torrente tão-só uma chuva que nos molha o rosto. Importa daquilo que ti, dos teus olhos, do teu pensamento, dos outros, apreendes para a vida. O que são neves e tempestades ao pé do abismo que é o nosso coração? Será lá que mora a morte ou naquele suave movimento onde os locais se moveram?

Luís Gonçalves Ferreira

Sem comentários:

Enviar um comentário

Vá comenta! Sem medo. Sem receio. Com pré-conceitos, sal e pimenta!